Translate

terça-feira, 29 de janeiro de 2019

"A Regressão" - Memórias de um Assassinato [Chamada do Livro]


Postagem Fixa no Topo da Página


               Chamada trailer do livro "A Regressão" - Memórias de um Assassinato de Gabriel de Aquino.


           O livro "A Regressão" - Memórias de um Assassinato, é um romance de ficção, que traz a história de um personagem (Daniel), perturbado por pesadelos constantes com uma mulher misteriosa. 

            Obcecado por respostas, Daniel procura a ajuda de um psiquiatra especialista em regressão de memória, a fim de desvendar o seu passado. 

         A cada regressão de memória, é desvendado um trecho sobre uma vida passada a qual desconhecia. Porém, ao invés de solucionar o seu intrínseco passado, mais dúvidas são levantadas. 

        Coincidentemente, após iniciar a terapia de regressão de memória, um psicopata faz ameaças de morte a Daniel e sua família. Ele não estará seguro em lugar algum.

           "A Regressão" - Memórias de um Assassinato, é thriller de ação e suspense que irá tirar o seu sono. 


            Confira o site: 








Compartilhe o vídeo e peça o seu e-book de 

"A Regressão" - Memórias de um Assassinato, pelo e- mail:


gabrielworksinc@hotmail.com

domingo, 9 de dezembro de 2018

"I´m Your Boogie Man" - Leo Maier Trio


              No destaque, Leo Maier Trio com o boogie-woogie blues de Goree Carter, "I'm Your Boogie Man"

           O blog tá sempre à caça de bons músicos para apresentar. Desta vez é a hora do bom e velho blues. 

        Um pouco sobre Leo Maier:


            Leo Maier é um guitarrista, cantor e compositor nascido na cidade de Blumenau-SC.


            O Rock N’Roll foi sua primeira grande influência e assim iniciou a carreira tocando em bandas locais aos 16 anos de idade.

         Alguns anos depois, Leo descobre o Blues e monta sua primeira banda totalmente dedicada ao estilo, a Delones Blues. 

             Em 2009 inicia atividades com a banda “Tiffany Harp & Capone Brothers” e grava um CD demo com o grupo chamado “Live Sessions”

       Ícones como Muddy Waters, Howlin’ Wolf, Freddie King, Buddy Guy, T-Bone Walker, Louis Jordan e Little Walter se tornaram suas maiores influências.

       Em 2010, resolve montar seu projeto solo, o Leo Maier Trio, e em 2012, o Leo Maier Quarteto. Sua sonoridade então é uma união entre o Blues tradicional, R&B, Swing, Soul e Funk Music.

     Já dividiu o palco com ícones do Blues nacional e internacional como Solon Fishbone, Igor Prado, Adriano Grineberg, Greg Wilson (Blues Etílicos), Gonzalo Araya, Eddie Taylor Jr., Terry ‘Harmonica’  Bean  e Kirk Fletcher.


             Abriu shows de lendas do Blues como Linsey Alexander, Lil Jimmy Reed e Rip Lee Pryor e já tocou ao vivo com ícones da música brasileira como Zé Geraldo e Rick Ferreira (guitarrista de Raul Seixas). 

             Leo lançou seu primeiro trabalho de estúdio como artista solo em fevereiro de 2015; um EP com 6 faixas intitulado “Leo Maier Trio”, que teve a participação do produtor e guitarrista Cristiano Ferreira.

                Lançou seu segundo EP, intitulado “Guitar In My Hand”, em abril de 2016 e em março de 2017 lançou seu primeiro álbum solo, I Choose The Blues, somente com faixas de sua autoria. 

            Seu último trabalho recebeu críticas muito positivas de revistas internacionais respeitadas como a Soul Bag Magazine (França), Blues Blast Magazine (EUA), Blues Music Magazine (EUA) e a Rootstime (Europa)  além de matérias na revista Guitar Player brasileira e na Guitarload

             O conceituado site Roots Music Report recomendou seus 3 trabalhos de estúdio e colocou o álbum “I Choose The Blues” como um dos grandes álbuns de estreia de 2017.


              Leo Maier é um músico ativo na cena Blues de Santa Catarina, tocando em diversos eventos e festivais, e que  segue passando por várias cidades apresentando seu trabalho e seu amor pelo Blues. 


           Confira e acompanhe os trabalhos de Leo Maier Trio no Facebook:







          Nesta versão de "I´m Your Boogie Man" de Goree Carter, a Leo Maier Trio optou por fazer um trabalho bem na cara. Com a guitarra relendo os sopros originais, a o baixo e a bateria ditando a marcação deste boogie-woogie. 


          O trabalho de aparência "simples" e cru, de nada tem de simples, tampouco é um som cru. A banda faz uma bela releitura, explorando todo o universo do blues, trazendo a guitarra de Leo para os "holofotes". Intercalando voz e guitarra, Leo mostra o blues de raiz, gravado com equipamento de qualidade e muito bem produzido. É exatamente como Goree Carter gravaria, se à época, houvesse os equipamentos atuais. 

           A ideia do vídeo é bem interessante. Sem cortes, com câmera na mão, em preto e branco e se fazendo utilizar apenas do zoom, traz esta impressão de imagens vintage, casando perfeitamente com a sonoridade da banda. 



   Confira todos os canais de Leo Maier Trio e curta este trabalho genial.



Vimeo: https://vimeo.com/leomaier



Youtube: 


https://www.youtube.com/user/leomaierblues/videos





Confira a música original de
Goree Carter:





Curtam e compartilhem o trabalho da Leo Maier Trio


domingo, 2 de dezembro de 2018

"I'm Always Chasing Rainbows" [Clip] - Puddles Pity Party


                Clipe de Puddles Pity Party da música "I'm Always Chasing Raibows" de Alice Cooper.


             Puddles reinterpreta a música  Always Chasing Raibows de forma espetacular.



             Com uma construção interpretativa, que é uma das características marcantes do "palhaço triste", Puddles faz uma bela plástica visual, diferente daquela de Alice Cooper


             A música traz uma introdução, que faz o ouvinte esperar por I Will Survive. Mas, por aí. Quando inicia a letra, a voz de Puddles, em Always Chasing Raibows, desfaz qualquer impressão. 

            Com voz mais grave e clara que a de Alice Cooper, Puddles traz uma nova "armadura" para este clássico de Cooper. Mas, assim como na versão de Cooper, Always Chasing Raibows de Puddles vem com uma parte em um suave jazz antigo e progride ao metal arrastado dos anos 80'. 


             Confira este e outros trabalhos de Puddles Pity Party no youtube:





Acompanhe as novidades de Puddles Pity Party  no facebook: https://www.facebook.com/puddlespityparty



Confira a música "I'm Always Chasing Rainbows" de Alice Cooper e compare as versões: 




Assista também, todas as audições de
Puddles Pity Party no America's Got Talent:




Curtiu? Compartilhe!



domingo, 25 de novembro de 2018

Talvez Seja a Hora [Clip] - Mr. Juz



                              No destaque, clipe de Mr. Juz, com a sua música "Talvez Seja a Hora".

         Confira o clipe em HD no youtube: https://www.youtube.com/watch?v=AvF0ukUN2ek



          A música "Talvez Seja a Hora" é uma composição, em pop rock, de Mr. Juz, com imagens de Renato Chama e Juliano Souza
         

          No vocal de Mr. Juz, é presente as variações de tons, que partem do baixo mais suave ao mais alto tom, até o drive natural na voz do cantor. A harmonia é muito boa e com variações passando do quase acústico, ao peso das guitarras distorcidas, tornando este belo trabalho, em uma música única.


      Acompanhe as novidades de Mr. Juz no facebook: 


https://www.facebook.com/Mr.JUZ/




FICHA TÉCNICA:

Composição: Mr. Juz
Gravação: Mr. Juz
Estúdio: Gramaton Audiovisual
Mixagem: From Hellcords
Locação: Estúdio Mezzo
Direção: Gramaton Audiovisual e Renato Chama
Imagens: Renato Chama e Juliano Souza
Edição: Gramaton Audiovisual
Atores: July Souza e Hermes





LETRA:

"Talvez seja a hora"


Aprendi a perder as batalhas dessa guerra
eu lutei contra mim sem exitar
todos os golpes que eu desferi
serviram só pra me entregar

Tudo que eu queria eram só promessas
que você não pudesse dar pra trás
Mas tudo aquilo que sempre evitei
foi o que mais veio a calhar

Eu depositei cada vez mais
esperando alguém recompensar
hoje desisti de combater
junto minhas cinzas pra viver

Pra você não sou mais ninguém

Entendi a rivalidade dessa selva
não fiquei no caminho pra agradar
Enquanto todos querem só brilhar
eu busco um jeito de aceitar

Eu depositei cada vez mais
(esperança em outro lugar)
hoje desisti de combater
junto minhas cinzas pra viver

Pra você não sou mais ninguém

E talvez seja a hora de sair dessa prisão
cada palavra era como a peça e eu tabuleiro
nos seus jogos mentais
e talvez seja a hora de fugir dessa prisão...

RIFF

Hoje eu dormi um pouco mais
e quando acordei eu quis voltar
só via sentido com você
não posso mudar o que eu sonhei

Pra você não sou mais ninguém
sem vc eu já sou outro alguém




Confira o clipe em HD no youtube:  https://www.youtube.com/watch?v=AvF0ukUN2ek



sábado, 17 de novembro de 2018

Anelise III - Clipe [Gabriel de Aquino]


               No destaque, o clipe oficial da música "Anelise III" de Gabriel de Aquino.



        A música "Anelise III", foi composta em meados de 2010, mas tinha outra estrutura harmônica. A letra, composta para Anelise A. de Oliveira, está inalterada. Até mesmo a forma de cantá-la, permanece a mesma. Porém, nesta versão, ela foi totalmente rearmonizada com piano, bateria, teclados e guitarras; soando mais suave e mais melódica, do que a primeira versão.

        O clipe oficial, possui mesclagem entre takes em que toco violão, teclado e guitarra, com trechos de alguns filmes, tais como: "Jane Eyre"; "Becoming Jane"; "Pride and Prejudice" e "The Notebook". Os filmes trazem dinâmica e movimento a música.

        O nome da música leva o algarismo romano "III" em representação de rainhas e princesas, tornando-se "Anelise III", uma referência a princesa Anelise. O que explica a colagem de filmes medievais no clipe. Mas, também leva este nome por ser o 3º take definitivo da 1ª versão. 



      Confira mais trabalhos no site:








Disponível no soundcloud:
           



A música possui também uma versão em Home Studio, em que foram utilizados takes diferentes dos do clipe oficial.

Confira "Anelise III" em versão Home Studio.






"Anelise III" - Letra
Você me trouxe a paz
É por você que respiro este amor
Os teus lábios destilam o sabor
É por você que estou...
Apaixonado! Seu eterno namorado
Seu eterno Ôow!

Refrão

Teu amor é quase um sonho
Um amor que eu sempre quis
Eu desejo mais que um sonho
De viver ao lado teu...

Anelise...Anelise ....

Any, não sei se pensa em mim 
Any, teu cheiro é o meu jardim 
Pra você criei...Um universo das palavras
Mais usadas pra te convencer

Refrão

Que teu amor é quase um sonho
Um amor que eu sempre quis
Eu desejo mais que um sonho
de viver ao lado teu...

Anelise...Anelise ....

A Deus, 
Não peço quase nada
De ti, só quero teus carinhos
Pra ti, darei o meu...
Pequeno-grande coração
Que espera por sua atenção...

quarta-feira, 7 de novembro de 2018

Bohemian Rhapsody - O Filme [Review]


               No destaque, o review sobre o filme Bohemian Rhapsody do Queen, por Gabriel de Aquino.


         Neste review, explico sobre os pontos positivos e negativos do filme Bohemian Rhapsody, que retrata a biografia dramatizada dos integrantes da banda inglesa Queen

          O filme é excelente. É feito de forma a suavizar a história real da banda. Dizem que a banda Queen teria exigido um roteiro que os mostrasse a banda de uma forma mais suave. E é exatamente o que foi feito. Desde o pivô da história, Freddie Mercuy, aos produtores, foram todos retratados de uma forma muito suave. Os casos bissexuais de Freddie, também foram retratados mais leve do que as novelas da Globo. Bom, se você se chocar com o beijo gay no filme, realmente você não deveria assistir o filme. 

           Mas, a história é leve e divertida, ao estilo dos filmes da HBO dos anos 90'. Não pegam pesado nas cenas e tudo é muito cinematográfico. 

           Porém, o que chama a atenção é a falta de respeito pela cronologia, o que deixa a biografia confusa. Na obsessão de contar uma extensa história em pouco mais de 2 horas de filme, tudo é muito corrido e atropelado, a ponto de dar um nó na cabeça do fã e passar falsas informações aos não-fãs. Jamais use as datas do filme numa discussão sobre o Queen. Tá tudo embolado e sem lógica.

           A banda tem material para uma trilogia. Mas, optou por tentar contar a história do Queen em um único filme. Talvez por ser o primeiro do gênero, ficaram com medo de ter um imenso prejuízo. Porém, no fim de semana de estreia, o filme arrecadou mais de 140 Milhões de dólares. É bom pensarem em montar uma trilogia que justifique a falta de cronologia do primeiro filme. 

          Pelo fato de correrem a história, muita coisa fica sem explicação. Como em partes técnicas, onde não se explica o porquê de certas atitudes na hora da gravação em estúdio. Não é explicado ao leigo em música, porquê penduram uma caixa amplificada num cabo e ficam balançando de um lado pro outro, por exemplo. O leigo não tem ideia do porquê de atitudes como esta. 

           O filme tem aquele "Q" de clipe. Então, trabalha-se muito com as músicas da banda entrando e saindo das cenas. Aliás, parabéns a equipe de áudio que fez uma verdadeira obra de arte neste filme. 



         O filme é muito bom. Vale a pena assisti-lo na tela gigante do cinema e com o impacto do som do filme em você. 

    Esqueça tudo o que você sabe sobre o Queen e divirta-se!