Translate

domingo, 18 de janeiro de 2015

Tim Maia - O Filme





                   Tim Maia, filme brasileiro, categoria drama, é uma obra biográfica sobre o cantor Tim Maia. Foi adaptado e dirigido por Mauro Lima, baseado nos livros "Vale Tudo - O Som da Fúria" de Nelson Motta, que rendeu um musical de teatro. O filme entrou em cartaz nos cinemas brasileiros em 30 de outubro de 2014. As filmagens do longa-metragem foram iniciadas em 12 de junho de 2013.
                   O filme "Tim Maia" retratou de forma pesada a carreira deste ícone da música brasileira, gerando inclusive uma polêmica em relação à minissérie adaptada para a TV. De fato houveram trechos suprimidos e uma aliviada na tensão entre Tim e Roberto Carlos. Afinal, preocuparam-se em preservar a imagem de RC. O que, num ponto de vista pessoal, achei desnecessário. Acredito que não é um filme biográfico deste calibre, que iria "arranhar" a carreira de RC. O filme deixa bem claro o quão era turbulenta a relação de Tim com as pessoas, e esperar que ele recebesse rosas após destratar tanta gente, é no mínimo hipocrisia. Mas, foi este o tratamento que Tim recebeu da "vida". Quem aprende pela dor, não tem muito tato com as pessoas, está sempre na ofensiva, para tentar não se machucar mais. 


                   Na minha opinião, o filme e a minissérie se completam de certa forma. Os depoimentos na minissérie são bem-vindos para uma melhor análise. Como todos sabemos, ter uma única visão de uma vida inteira, é não prestar atenção na obra como um todo. A história, próxima do que de fato aconteceu, só pode ser contada se tivermos várias perspectivas. Se não for desta forma, torna-se tendenciosa. E é exatamente por isso que gostei da minissérie. Muitos dos envolvidos  nesta história, exprimem os seus pontos de vista. Se é verdade ou não, isso não tem como saber. 






                     Tim Maia foi um ícone da música brasileira? A resposta é óbvia. Mas, ele não teve o devido reconhecimento na época apropriada. 
                    É muito difícil avalizar uma trajetória de vida tão polêmica e tão cheia de altos e baixos. Mas, esta trajetória, a bagagem que adquiriu ao longo de sua impetuosidade, é exatamente  o que lhe torna ÚNICO como artista. O problema com a palavra "único", é exatamente o seu significado: "SÓ". Que era como Tim passou a se sentir após idas e vindas, arrastando amigos como "Fábio", interpretado no filme por Cauã Reymond, até perdê-lo de vez.  
                    Alguém um dia disse esta frase: "A força do artista está na solidão". Não tenho dúvida disso. Mas, sempre acreditei que tal frase se aplicasse ao momento criativo do artista e não a vida inteira de uma pessoa, como aconteceu com Tim Maia
                    "O mau do século é a solidão..." já dizia Renato Russo. E eu não tenho dúvida disso. A solidão mata. Vemos muitos e muitos artistas, gênios e anônimos morrendo disso. Esta é uma das doenças mais difíceis de diagnosticar e tratar, pois não gera estatística e o paciente só descobre que tem a doença, quando é tarde demais. 


                     Pra finalizar esta resenha, recomendo assistir ao filme completo e em seguida, a minissérie com os depoimentos, afim de assistir em novas perspectivas.